quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

CASAMENTO GAY : PS PEDE BOM -SENSO

É isso mesmo, não se excitem antes do tempo!
E vai daí, temos, novamente, o Senhor Santos Silva, a botar discurso!
Santos Silva frisou que a moção de orientação política de José Sócrates, para o congresso do PS, propõe apenas «a remoção de barreiras jurídicas à celebração do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo».
«O PS não considera outros planos da questão que não o plano jurídico e civil», salientou o ministro dos Assuntos Parlamentares.
Também de acordo com o membro da direcção do PS, a proposta do secretário-geral socialista «tem valores que são os típicos da civilização europeia: a liberdade, a igualdade perante a lei, a dignidade humana e a tolerância».
Augusto Santos Silva salientou que a questão dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo reside no plano «dos direitos civis», não sendo, como tal, «religiosa».

É no mínimo interessante o que a “Pantera Cor-de-rosa” diz, sobre a questão dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo!
Em primeiro lugar diz que são a remoção de barreiras jurídicas à celebração do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. Não há dúvida nenhuma que são barreiras, mas por quem encara que as pessoas do mesmo sexo devem poder casar. Mas já se perguntou, aos heterossexuais, se estes não se sentem “violados,” por invadirem o seu cercado? Mesmo o espaço que é do domínio público não pode ser ocupado, quando já se encontra ocupado, vai para muitos anos!
Já alguém viu manifestações de heterossexuais a reivindicar a destruição das “barreiras” que pertencem, por direito próprio aos homossexuais? Claro que não! Nem pensem numa coisa dessas! Ouviram? Atrevam-se!
O PS não considera outros planos! Ah pois não, a seguir não vamos ter a adopção…além de que isto não passa de mais uma diversão dos “Panteras Cor -de Rosa”, do partido socialista, para distrair as atenções da trapalhada em que está o país. Não é a crise económica internacional, o maior problema. O problema mais grave é a crise de valores. “ As liberdades sem limites destroem-se a si próprias”.
Depois o “Pantera Cor – de- Rosa” ainda diz que “os valores defendidos são os típicos da civilização europeia”. Essa tem piada! Sou europeu e não defendo esses valores. A mania de estar a falar pelos outros! Isso não se faz!
O que é a civilização europeia? Esta não é constituída por uma miscelânea de povos oriundos de todo o mundo? Ao termos uma panóplia de povos de outros continentes, não temos também diferentes posições religiosas? Ou seja esta malta não faz parte da comunidade civilizacional europeia?
Vamos lá a ver, se a gente se entende! Na Europa, entre países que legalizaram o casamento entre homossexuais, contam- se a Holanda, a Bélgica e a Espanha! Bom dos Espanhóis não se espera outra coisa! Ou são muito “machos” ou “gays”.
Já no norte da Europa, a Dinamarca autorizou, no 1.º de Outubro de 1989, uma “paternidade registada” entre homossexuais. Concede-lhes os mesmos direitos que aos heterossexuais, excepto a inseminação artificial e a adopção.
A Noruega em 1993, a Suécia em 1994, Islândia em 1996 e a Finlândia em 2001 seguem os passos da Dinamarca! Os “gays” são muito solidários! Mas não estamos a falar de casamentos. Existe uma diferença que não convém baralhar, saltando assim, as “barreiras”.
Já em França, o que existe é o “Pacto Civil de Solidariedade” (PACS). Estão a ver, que falamos é de solidariedade? As pessoas que firmarem esse pacto podem beneficiar de algumas das medidas fiscais e sociais das casadas, sobretudo em relação à herança.
Tentando percorrer a Europa, temos a Alemanha que em 2001 concede o casamento homossexual com direitos similares aos do matrimónio comum. Porém não concede direitos fiscais e não permite a adopção. (Discriminação)
Por seu lado, a Croácia, em meados de Julho de 2003, adoptou uma lei que concede aos casais homossexuais os mesmos direitos daqueles formados por sexos opostos.
Na Grã – Bretanha, em Dezembro de 2004 entrou em vigor uma lei que oferece aos casais homossexuais a possibilidade de formar uma “associação civil”. O parlamento aprovou em Novembro de 2002 uma lei autorizando aos casais homossexuais a adoptar crianças.
A Suíça, por meio de referendo, aliás como é habitual neste país, adoptaram um projecto de “associação registada” para casais homossexuais, que o parlamento já havia adoptado. Se inspira no direito matrimonial mas é diferenciado do matrimónio, pois exclui a adopção e a procriação médica assistida.
Ó Sr. “Pantera Cor-de rosa”, estes são os países da Europa, ou faltam aqui alguns? Parece que falta o Luxemburgo, Letónia, Polónia, Ucrânia, Rússia, Hungria, República Checa, Eslovénia, Bulgária, Sérvia, Albânia, Arménia, Áustria, Azerbaijão, Bielorrússia, Bósnia e Herzegovina, Cazaquistão, Chipre, Eslováquia, Estónia, Geórgia, Grécia, Irlanda, Itália, Kosovo, Liechtenstein, Lituânia, Malta, Moldávia, Mónaco, Montenegro, República da Macedónia, Roménia, San Marino e Turquia.

A dignidade humana é uma questão interessante, quando não vejo os socialistas preocupados com o desemprego e a miséria de ordenado mínimo que é pago aos trabalhadores. Por outro lado, temos vindo a assistir a estas palhaçadas do caso Freeport e de moções, para casamentos à “Lá carte” e às bagunçadas da justiça!
E a sensação de que, neste país, não há nada importante para resolver! Para pôr à discussão do povo português!
A separação do religioso do civil é uma questão no mínimo interessante! Sempre que se pretende impor alguma coisa que é contrário à cultura do povo, ao seu pensamento e convicções, temos este tipo de argumento. Temos que separar o “civil” do religioso, temos de separar o “civil” do militar e temos que separar o casamento dos homossexuais dos casamentos heterossexuais! Ou não?
Até parece que para os países da Europa que procuraram uma solução para este problema, foram todos pelo casamento! Os Suíços são um povo atrasado, os Ingleses também, os Franceses igual. Já para não falar dos países da Europa onde o problema não foi ainda colocado!
Volto a repetir! Em Espanha, em 2007, entre os mais de duzentos e trinta mil casamentos heterossexuais, foram celebrados pouco mais de mil casamentos de homossexuais! De facto, este era um problema muito importante, para os Espanhóis, como o vai ser para os Portugueses!
O problema das heranças é fácil de resolver…é só alterar o direito sucessório e permitir que, em primeiro lugar, haja a preferência pelo testamento! E isto era bom para os homossexuais e heterossexuais! Verdadeira igualdade!
Depois, alterar o regime de casamento, de modo a que o regime supletivo fosse o da separação de bens! Outra igualdade! É que a seguir, ao casamento, vem o divórcio! Ou não? Se calhar para os homossexuais não, pois a sua ânsia de casamento é tão grande que ao casarem é para toda a vida! Até que a morte os desgrude!
Será que a solução de protecção dos “casais” homossexuais não ficaria salvaguardada com uma legislação que permitisse uma “Associação Civil”? Esta permitiria salvaguardar os mesmos direitos: transmissão do direitos de arrendamento, assistência à família, da pensão do “de cujus”, etc. Já a herança, alterado o regime jurídico sucessório, relegando para segundo plano os familiares e permitindo, que se exerça em primeiro lugar o testamento, sem limites de quotas, era a solução, sobre a qual não se vislumbra oposição dos portugueses!

“Assiduae multis odium peperere querelae”. [Propércio, Elegiae 2.18.1] As queixas contínuas muitas vezes produziram ódio.

6 comentários:

Anónimo disse...

Carissimo Senhor Professor
Considero uma ofensa de "Lesa Pátria", chamar Pantera Cor de Rosa, a tão infames criaturas. Será que foi somente por uma questão de cor??? Se foi, ouso pensar que a utilização de tais palavras foi infeliz (Sim, sou advogado da tal dita Pantera). Então porque não chamar os bois pelos nomes: PANELEIROS. Se querem desviar a atenção do povo Português para outros assuntos, que não o dito caso FreePort, desenterram, não sei qual dos PANELEIROS o fez, o casamento dos gays. E o Povo, fica estarrecido a pensar, como é que vamos descalçar esta bota. Se o casamento, ou lá o que quiserem chamar-lhe, dos paneleiros for aprovado, uma vez mais vamos estar do lado das minorias. Neste caso dos países que já aprovaram o dito. Se somos um País tão católico como apregoam, espero que os Portugueses saibam responder a este desafio que lhes é posto pelos PANELEIROS, dando-lhes um valente pontapé no cú...
PS: Que me desculpem os fabricantes de panelas, mas faltou-me outro termo para chamar aos silva, aos josé e todos os que nos governam....

PROFESSOR disse...

Quando chamo Pantera é porque o Sr. Santos Silva é agressivo, gosta de "malhar" na direita. Cor de rosa porque está a encabeçar, como porta-voz do Governo, a defesa do casamento dos homossexuais!Alegações finais!

Anónimo disse...

Pedir bom-senso nesta altura, depois de quase se "honorificarem" as ligações "homo" - com eles todos já entusiasmados por as poderem celebrar e consumar com a tranquilizante aquiescência legal - é o mesmo que um jovem "hetero" virgem estar diante da sua primeira parceira e ela "fechar as pernocas" imediatamente antes da Hora H e, no momento crucial do acto, dizer-lhe: amor, vamos com calma porque eu ainda sou uma teenager menor de idade, apesar de experimentada, e apenas estou a mostrar-te aquilo que nunca provaste... Não vês? Estou apenas a propor remover as barreiras legais à celebração da tua primeira "queca"... Não estou a dizer que me vais comer nem estou sequer a considerar outros planos que não o plano jurídico da "queca"...

:))

Anónimo disse...

Casamento Gay:

Mais uma "obra" com a assinatura do (quase) Eng. José Sócrates: a "Opus Gay".

Quanto à essência da medida defendida pelo inenarrável Ministro da Propaganda Augusto Santos Silva (o Ministro "malhador" e "sem barreiras"), é consensual tratar-se de uma medida de diversão. Não só porque, como referido, tenta (desajeitadamente) desviar a atenção dos portugueses da gravíssima crise ecomómico-financeira que o país atravessa, mas também de "diversão" porque é uma autêntica anedota. Deveria, para surtir ainda mais efeito, ter sido contada em "Inglês Técnico".

Anónimo disse...

Caro Professor,
Não precisarei de lhe dizer quem sou se lhe referir que estivemos hoje juntos num almoço volante em honra da visita de sua excelência o sr. Presidente da Républica.
Aliás...
Refira-se que senti o Presidente da Republica muito abatido.
Pudera...
Com tanta tropelia ao bom-nome dos cidadãos portugueses honrados, que hoje em dia se recusam a vestir a pele da pantera, independentemente da cor a que sempre pertenceram, já nem sei como lhe comente este post!
O que me preocupa já nem é mesmo um estado pré-pidesco!!!
O que me preocupa já nem é mesmo que o estado queira permitir que os gays partilhem o sagrado matrimónio!!!
O que me preocupa já nem é mesmo que nos queriam empurrar à força para a liberalização imposta ou decretada, de um estado laico!!!
O que me preocupa é que o primeiro-ministro decrete que ser gay em vez de consentido, passe a ser obrigatório... até para todos os que aspirarem a ser seus sucessores!!!
É que segundo o sr. Primeiro-ministro…
lá deveríamos ter ou uma avó lésbica, ou um submarino com portas apenas á ré, ou um francisco travesti ou até mesmo um Jerónimo Sado-masoquista!!!
O que o sr. Primeiro-ministro se esquece, é que tudo isto já temos, à excepção da avó lésbica… porque quer homens quer mulheres dela fogem a sete pés….
De resto temos tudo. A que mais poderemos aspirar?
Temos o governo e o primeiro-ministro que a maioria quis e escolheu ( eu não )!
Será que teremos também o estado de direito pelo qual uns bravos lutaram há uns anos largos ATRÀS?

O Cidadão!

Anónimo disse...

GAY = Governo Anormal Ynsolvente