sexta-feira, 8 de julho de 2011

SOMOS DIFERENTES POR NATUREZA


Não é fácil, elas admitirem estas situações.



Elas detestam a sogra, o sogro, os amigos deles, mas impingem-nos os delas. Acham que nunca arrumamos a casa e mal pegamos na vassoura, mandam-nos embora porque acham que nós não sabemos fazer as coisas.
Se perguntamos onde querem ir jantar ou passear, ficam chateadas porque gostariam de ser surpreendidas. Mas, se tomamos a iniciativa de as surpreender, é fundamental que acertemos na escolha, porque, caso contrário vamos ser acusados de só pensarmos em nós ou de termos algum “propósito” escondido pelo facto de termos escolhido aquele lugar. Poderia enumerar uma lista de múltiplas razões, para que elas justifiquem que nós somos difíceis. Só que elas não conseguem ver o quanto são chatinhas, não se dando conta do que nos massacram. Nós e elas somos diferentes por natureza.
Nas situações difíceis temos capacidade de racionalizar mais rapidamente do que elas, logo tomamos decisões de modo menos emotivo. Elas, pelo contrário, choram primeiro e racionalizam, depois. Talvez por esta razão é vulgo dizer-se que elas são o sexo fraco e que nós, homens, somos insensíveis. Mas nem se trata de fraqueza, nem tão pouco de insensibilidade. (porque os homens também choram ou não?). São, sim, maneiras diferentes de processar a informação.
Homens e mulheres são diferentes na sua natureza. Elas preferem resolver os seus problemas a falar, enquanto nós, preferimos o isolamento, para pensar e resolver as nossas crises existenciais, sozinhos.
Normalmente, nestas alturas, sucedem-se as rupturas. Elas querem falar e nós só queremos estar sós, nem que sejam umas horas. Elas pensam que nos isolamos, porque já não gostamos delas. Por outro lado, nós pensamos que elas não nos compreendem e que só pensam nelas, quando no fundo, ambos, queremos a mesma coisa…resolver os problemas que nos apoquentam. Que nos deixem pensar, arejar a cabeça, porque, normalmente, quando voltamos até falamos com elas e até lhes pedimos conselhos.
Entretanto, elas, podem aproveitar para falar com a mana, com a mamã, com uma amiga do peito…em suma,deixem-nos ser homens e aprendam a ser mulheres.

"Mulierem ornat silentium." [Sófocles / Erasmo, Adagia 4.1.97] O silêncio é o ornamento da mulher.

Sem comentários: